Não vou falar sobre Isabella.

Vou falar sobre aqueles que saem de suas casas e vão até a porta de uma delegacia de polícia para chamar os supostos assassinos de “assassinos”…

O que leva uma pessoa a agir assim?

Não há aqui uma crítica, mas sim uma questão a ser pensada.

Há 2000 anos, os fariseus levaram uma mulher adúltera até Jesus. O objetivo era fazer com que ele a condenasse porque a Lei dizia que uma adúltera deveria ser apedrejada.

O Mestre sabia que ela era adúltera. Mas também sabia muito a respeito daqueles que a condenavam e, por isso, lançou o seu ensinamento: “Aquele que estiver sem pecado que atire a primeira pedra.”

Será que aqueles que estavam ali, diante da delegacia estavam sem pecados?

Será que nós, no conforto de nossas poltronas, diante da televisão que exibe os detalhes sórdidos do caso , estamos sem pecados, a ponto de condenar aqueles que, supostamente, cometeram o crime?

Não seriam todos ali, apenas vítimas?

Anúncios