Quem diz isso é uma pesquisa da UnB e da Uerj publicada hoje na Folha Online

( http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u397652.shtml ) que informa que as católicas são a maioria e que as evangélicas estão em terceiro lugar em números de abortos praticados.

O que me chama a atenção, porém, é que aquelas que se declaram espíritas formam uma pequena parcela da população, muito menor do que aquelas que se declaram evangélicas, o que me leva a concluir que, relativamente, as espíritas são as que mais praticam o aborto.

E daí? Daí que isso tem tudo a ver com a questão da ética e dos valores. Nós espíritas sabemos muito bem das consequências de certos atos e ainda assim os praticamos o que nos mostra que os ensinamentos que recebemos estão muito bem aceitos no plano racional, mais ainda estão distantes do nosso modo de agir.

Novamente, a reflexão que fica a ser feita é: o quanto cada um de nós age contrariamente àquilo em que acreditamos.

Anúncios