Recebemos do Criador o livre-arbítrio (que ao meu ver é relativo à evolução daquele espírito). Somos os responsáveis por toda escolha ou decisão tomada.

Podemos inferir também que em outras vidas não fomos propriamente bons e continuamos não sendo perfeitos. Mas, em outras encarnações, conforme a vida que tínhamos, no ambiente e pelas pessoas com quem convivíamos, fomos adquirindo algumas imperfeições que estão gravadas em nosso inconsciente, portanto ‘arrastadas’ para esta vivência.

 

 

Tais como: irritabilidade, mágoa, impaciência, tristezas, orgulho, inveja, etc.

 

Com isso nós podemos irritarmo-nos sozinhos?

 

Magoarmo-nos sozinhos?

 

 

Perdermos a paciência sozinhos?

 

 

Como é difícil, não é mesmo?

 

 

A Vida é tão perfeita que ela dá uma forcinha provocando encontros com pessoas de personalidades especiais para fazer aflorar de nosso inconsciente, aquelas imperfeições que devemos equilibrar.

 

 

Nós precisamos que alguém nos ajude provocando tais situações.

 

 

E nós, o que fazemos?

 

Ao invés de olharmos para nós e entendermos que a pessoa a está nos ajudando, nós a afastamos culpando-a por nos fazer sentir assim, perdendo mais uma oportunidade de mudar. (Cá pra nós, estamos sempre certos <:o)

 

 

Se você quiser começar a mudar, faça a si próprio perguntas do tipo:

 

“Porque briguei com meu irmão, minha mãe ou outra pessoa que a Vida colocou no seu caminho tentando lhe ajudar?

 

 

Preste atenção naqueles que você entende por seu inimigo, por seu competidor… veja o que você detesta neles… quem sabe é a Vida chamando a sua atenção naquilo que você precisa mudar. Normalmente o defeito que abominamos no outro se esconde atrás de algumas atitudes dissimuladas que temos. 

 

Pense nisso!

 

Evoluir é preciso!

 

E Evolução sugere mudanças positivas 

 

Anúncios