A Folha de São Paulo de hoje, 19/05, vem com uma matéria sobre a criação da Associação Jurídico Espírita do Estado de São Paulo.

Tal associação surge com a proposta de “espiritualizar o Poder Judiciário”.

Por mim, tudo bem. Acho que devemos espiritualizar todas as atividades de nossa vida. Levar os valores espíritas para nossas atividades cotidianas é um de nossos deveres pois devemos ser espíritas (ou seja, pessoas que praticam a moral espírita) dentro e fora de nossas casas de oração e atividade.

A porca só começa a torcer o rabo quando a Associação defende a aceitação de psicografias como parte de processos.

Eu sei que isso não é novidade e que já aconteceu antes e acho até interessante que passem a ver as psicografias como algo natural. Mas eu me preocupo quando querem transformar isso em norma pois sabemos que existem médiuns e médiuns, assim como existem psicografias e psicografias.

Tenho certeza que as intenções são as melhores, mas acho que o assunto deveria ser melhor discutido. Não por acaso o assunto já começa a levantar polêmicas nos meios jurídicos, polêmicas que, em breve, chegarão ao meio espírita.

E você? O que pensa a respeito?

Anúncios