Um guerreiro famoso por sua inteligência foi até um mestre zen a fim de aprimorar sua sabedoria. Ao chegar à casa do mestre ele o saudou dizendo:

 

– Mestre, vim aqui para aprimorar o meu espírito.

 

O mestre olhou-o e convidou-o para tomar chá. Já dentro da casa, o mestre ajoelhou-se e convidou o guerreiro para que fizesse o mesmo e foi despejando o chá dentro da xícara do guerreiro sem pronunciar uma só palavra. À medida que a xícara enchia, o mestre continuava a despejar, sem dar sinais de que pararia com aquela ação, até que a xícara se encheu e transbordou, e mesmo assim o mestre não parava de despejar o chá, que, a esta altura, transbordava da xícara. Diante disso o guerreiro, espantado, indagou ao mestre:

 

– Mestre, perdoe-me, mas o senhor não está vendo que a xícara está cheia?

 

O mestre apenas levantou os olhos e respondeu:

 

– Sim, já havia percebido, porém, assim como esta xícara que está cheia, você também está cheio de si, eu nada posso acrescentar-lhe.

Anúncios